Um esclarecimento

Há aí umas pessoas, livres excepto no pensamento, que gostam de fazer acusações e/ou questionar sobre partir dentes aos outros. Está bem, é uma das vantagens da liberdade, dar azo à imaginação.

Dizem que desejava a morte de um deputado (o nome não interessa) português em Utøya, aquando do massacre perpetrado por outro grande democrata, um tal de Breivik.

A minha tendência arquivista permite-me desfazer o erro, o que não impede de se sentirem ofendidos. Enviei dois tweets com os seguintes textos:

  • Que desilusão. Achava que o XXXXXXX estava na ilha norueguesa mas ainda deve ser muito novo para esse tipo de actividades. (122 caracteres)
  • Se estivesse poderia relatar o horror que é um ajuntamento de socialistas. (74 caracteres)

Mau gosto? Provavelmente. Piada infeliz acerca da juvenilidade do tal deputado? Provavelmente. Piada horrível como as que se fazem sobre a ponte de Entre-os-rios sem com isso pensar nas vítimas e suas famílias? De certeza absoluta. Se calhar até ao nível de um episódio do Tubo de Ensaio.
Desejo que o deputado XXXXXXX morresse? Nem eu sou tão parvo assim.

E é tudo que tenho a dizer sobre este assunto excepto aproveitar a oportunidade para pedir desculpa à família das vítimas que se possam ter ofendido com esses dois tweets.