Ridículo (não que tivesse algo de mal)

Sobre as insinuações de bandalhos acerca da minha homossexualidade (não que tenha algo de mal ser homossexual) só tenho a dizer: ridículo (não que fosse ridículo ser homossexual, isso não teria mal nenhum). A minha vida privada só a mim me diz respeito e ninguém tem nada com isso. Até falei disto com a minha ex-namorada Júlia, quando dormia amiúde em casa dela, que talvez lançassem rumores por verem o meu carro a sair de manhã da casa da Júlia, que é mulher, e eu sou homem, portanto não homossexual (não que isso tivesse algo de errado, é que a minha vida e com quem durmo não vos diz respeito), que usavam isso para me denegrir com insinuações de homossexualidade (que não tem nada de mal, ninguém tem nada com quem durmo ou dormi, até porque a homossexualidade não tem nada de errado).
Se fosse homossexual não andaria aí a falar dos meus namorados e ex-namorados, como aliás até disse à Júlia, a minha ex-namorada da altura, na casa de quem dormia frequentemente, como se chamar alguém de homossexual tivesse algo de mal, que não tem, como disse à Júlia, a minha ex-namorada, do sexo feminino. Ridículas estás pessoas que falam da vida privada, como aliás disse à Júlia, a minha ex-namorada da altura, que é mulher e não é um homem.