Bandarilhar a manada

As pessoas não gostam de ser espicaçadas, nem quem não o sejam. Um tipo escreve umas coisas e a manada, sempre avessa a divergências do modelo comportamental da mente bem formatada, corre em apupo geral, quase sempre criticando o que acham que poderá ser a intenção escondida naquilo que não está escrito.

Não me queixo. Não quero mudar ou pensar a sociedade, essa puta que vai com todas que a pensem. No entanto, a coisa está perigosa: um dia destes passam das palavras aos actos e, sei lá, ainda acabam a combater angolanos na horizontal.

Tomem muito cuidado com as vossas opiniões. Não são desejadas e devem ser silenciadas (combatendo angolanos na horizontal?) pelo comité central que pensa – mas de verdade, mesmo, pá – a sociedade. Eu, pensar (só transmontanos percebem o verbo), é só mesmo o gado.