Querido idiota

Querido professor Guinote, aprecio ser chamado de “imbecil”. Espero que essa avaliação possa ser útil na sua (tua, camarada?) avaliação de desempenho do eduquês. É com muito orgulho que participo no debate construtivo de ideias sobre Brochnyziev e outras merdas da lista de leitura da Oprah. Como fruto do sistema de educação pública, só posso agradecer a formação que me permite agora alcançar este galardão, que partilho consigo (contigo, camarada?) na sabedoria que os impostos de uns são as fanfarronices de outros.

Muito respeitosamente, e com todo o carinho que merece (mereces, camarada?), que a Força esteja contigo.

Heil!