Ó Parreira, diz-me o que vai o senhor PM dizer entre as 18h30 e as 20h10

Há entre duas a sete hipóteses. Vou deixar-vos os rascunhos das três primeiras:

Número 1

O governo não concorda com o Tribunal Constitucional na interpretação da Constituição mas, como é sua obrigação, respeitará. Assim sendo, anuncio a medida alternativa a que fomos obrigados: despedimento imediato de 1/14 a 2/14 da função pública com indemnizações pagas em títulos de dívida pública.

Número 2

As putas do Tribunal Constitucional decidiram que não querem receber menos para manterem as suas peidas aristrocráticas à custa dos desgraçados que não trabalham na função pública. Muito bem. Besuntem-se com elas. Eu quero é que vocês se fodam, já que é isso que querem. Demito-me e concorro a eleições com um programa que consiste apenas em privatizações, encerramentos e despedimentos. O presidente que levante a peidola e meta a mão onde mete a boca.

Número 3

Pedi um segundo resgate que consiste em assinar um memorando com duas condições: a primeira é o mais tempo e mais dinheiro; a segunda é introdução do Chico já na segunda-feira.