Morcão de censura

Enquanto as bichanas estão em isolamento total para não serem influenciadas, o Partido Socialista liberta a passarinha para o flato pós-coital da entrevista coisal. Vai ser bonito, para quem gosta de peixeirada, como eu. Infelizmente, as quotas de jagunços ainda não entraram em vigor para permitirem uma muito morna pancadaria censuradora.

Comecemos então: em nome do Miranda, do Arnaud, e da Sagrada Constituição, eu te censuro, Belzebu. Ou ainda em nome do crescimento, da redução da dívida e do aumento do défice, eu te censuro, iletrado.

E Seguro? Para o ano há mais.