Eu vi um sapo, um grande sapo.

Maria Armanda

Maria Armanda, circa 1979

Maria Armanda, nome artistico truncado de Maria Armanda de Jesus Lopes, foi uma cantora infantil de grande sucesso na época feliz de cantores infantis lusitanos, a par com outros sucessos da miudagem como José Cid, Pedro Barroso ou Lena D’Água.

Actualmente com 38-40 anos de idade, pouco se sabe sobre Maria Armanda ou a quantidade de sapos observados nos anos de obscuridade. De acordo com declarações da própria ao jornal Público, tem saudades dos palcos mas “não são saudades que levem à amargura“.

Isto mexeu comigo. Maria Armanda deve Voltaire a cantar o mais rapidamente possível, de preferência na RTP1. Não restam dúvidas que Maria Armanda está habilitada a comentar carreiras e a sua experiência assegura a credibilidade que se exige para uma televisão pública.

Pessoalmente, acho que Maria Armanda tem todo o direito a defender-se das pessoas que insistem que apenas viu um sapo. O mundo muda muito rapidamente. É muito provável que seja necessário fazer o contraditório da unicidade sapal à luz dos acontecimentos mais recentes e das transmutações da demografia anfíbia.

Nem que não seja por mais nada, a Maria Armanda nunca faliu um país.