Este post é para ser destacado naqueles noticiários que destacam blogs senão parto já isto tudo

Parece-me óbvio que a demissão do ministro Miguel Relvas é entendida como uma vitória de todas as partes.

Pelos partidos do protesto, partes integrantes do circo, porque lhes permite referir o “pacto de agressão“. Aliás, um jogo do FCP é, para estes partidos, um “pacto de agressão“.
Pelo PS porque permite valorizar a patética moção de censura apresentada antes do tempo (nem renovação governamental, nem decisão do Tribunal Constitucional).
Pelo CDS porque permite afastar a atenção dos seus maus ministros Mota Soares e Cristas.
Pelo governo porque permite mostrar empenho em novas soluções e eliminar o lastro partidário avesso ao primeiro-ministro.
Pelo palerma, que acha que com isso o governo cai.
Por Sócrates porque demonstra que escapou ao mesmo destino a tempo, dando mais credibilidade ao seu “curso”.
Pelas televisões e pelos jornais porque podem encher chouriços sem terem que inventar um caso.

Aparentemente, o único que perde alguma coisa é o próprio Relvas. O PSD não tem nada a perder porque, bem, o que é o PSD? É o Marcelo Rebelo de Sousa, o Pacheco Pereira, o Rui Rio, o Luís Filipe Menezes ou o Alberto João Jardim?

Agora, se não destacarem isto no vosso telejornal, de preferência com uma referência ao génio da minha pessoa humana, aí vai haver mortos. Ficais avisados.