Brincar com a geometria é engraçado mas não é preciso federar a Europa

Como vos demonstrei nos dois últimos posts (1,2), brincar com a geometria tem alguma piada, é educativo, fomenta a aprendizagem nas crianças assim como a descoberta das formas, acto fundamental para a percepção de espaço e distância nas suas correlações com o plano visual, mas, esta galhofada, também pode ser prejudicial ao desenvolvimento sócio-económico num contexto de primazia do formato pelo conteúdo.

Mas, ó Parreira, tu relacionas coisas que não têm relação“, indagará o arguto leitor com compreensão do mundo além do sistema de ensino. É verdade, dou a mão à palmatória. Trata-se, porém, de um exercício de paternalismo pare me colocar ao nível de um comentador de televisão ou jornalista de várias cenas colectivistas, para facilitar a compreensão das massas à complexidade inerente do mundo físico que sem claque parece não marcar golos.

Este post advém sobretudo da minha perplexidade perante os europeístas convictos, que ainda ontem queriam federar não sei o quê, e que perante as primeiras consequências de gestão conjunta, pretendem saltar fora. Meus amigos, isto não é fazer uns pentagramas no centro-sul do país ou um pénis no centro de Lisboa. Isso é giro e educativo, como já expliquei, mas uma moeda é uma coisa séria, que implica confiança dos utilizadores no seu potencial de troca e poupança.

Então as meninas achavam que isto era só gastar e mandar imprimir? O que é que as mariposas achavam que era uma moeda? Freixo de Espada à Cinta a mandar na Casa da Moeda porque “quer crescer”? Alcatifar Vila Chã (há muitas, é muita alcatifa)? Vocês, seus mariquinhas, vão continuar no euro, quer o usem, quer não. As dívidas serão pagas, independentemente de cortes de bigode, algo que tem um preço que nem parecem estar dispostos a perceber.

Se há alguma coisa a ser discutida na opinião pública – tenho dúvidas, a malta quer é chupa-chupas – são as consequências do planeamento central na sustentação de um Estado. Se isto vos parece muito aborrecido e sem resultados imediatos, ide lá ver antes o pénis.