Assunto muito sério

Hoje tem havido muito regabofe na imprensa, nos blogs1, nas redes sociais e até neste blog. Agora que rimos muito, é preciso advertir as crianças e os pais, que apesar de ser divertido brincar com nazis, há relatos na literatura de ataques violentos a pessoas por nazis sem coleira.

As pessoas acham muito giro ter um nazi, e até é bom para o desenvolvimento intelectual e motor das crianças, mas quando chega a altura das férias, também são meninos para os abandonarem ao Deus dará. Este post é um apelo às pessoas que têm nazis, para não os abandonarem. Há instituições que tratam deles, que lhes dão o carinho necessário e que providenciam as necessidades básicas a um nazi criado em casa. Eles não estão preparados para enfrentar a intempérie, na rua, ao frio, com os carros a passarem. Pode até acontecer um acidente, quando um nazi está a perseguir um veículo que não pode parar para o acolher, como uma ambulância. E se fossem vocês o doente transportado? Gostavam de ter outro acidente por causa do abandono de nazis das pessoas más, gente sem coração?

Outra coisa que me mete espécie são as experiências de cosméticos em nazis. Quando começo a falar disto até me vêm as lágrimas. De qualquer das formas, este é um assunto muito complexo e não me sinto perfeitamente habilitado para falar dele porque, se por um lado torturamos nazis pintando-lhes as beiças para testar o batom, por outro não queremos que as nossas senhoras se pareçam com as matronas das causas da esquerda que vão ao Prós e Contras.

Fica o apelo. Divirtam-se mas tenham cuidado a brincar com nazis que não conhecem bem ou que não sejam do vosso círculo familiar.

 


1Podia ser sobre o discurso neo-assistencialista caritativo da direita, mas também pode ser sobre Chipre“, diz o autor da posta, esquecendo-se que podia ser também sobre a linda contabilidade de estado que Zapatero deixou na Espanha.